Diário 12: vocação de Irmã Roseldis Kuhn

Diário 12: vocação de Irmã Roseldis Kuhn

Um Diário de minha Vocação

Sou Irmã Roseldis Kuhn, há 61 anos Irmã da Divina Providência. Tenho, nesta história, uma vida vocacional marcada pela Providência de Deus. Vou contar um fato do início deste caminho.

Minha família é do interior de Nova Petrópolis, precisamente da Comunidade de Pinhal Alto. Com meus pais e irmãos, vivi feliz os anos da minha infância e adolescência. Nossa família, além de viver a fé cristã intensamente em casa, estava muito envolvida na Comunidade da Igreja Local. “É a nossa Igreja”, se dizia. Foi também neste envolvimento comunitário, que despertou em mim a vontade de ser Irmã, mesmo sem nunca ter visto ou conhecido uma Irmã Religiosa. Eu estava com os meus 14 anos de idade, quando uma colega de aula foi com as Irmãs Bernardinas Franciscanas, em Camaquã, e eu queria ir com ela. Externei para meu pai o desejo de ir estudar para ser Irmã e de ir com a Maria, minha colega. A resposta do pai foi: “Tu podes ser Irmã, sim, mas tens 14 anos, quem sabe, fica mais um ano em casa! És ainda nova!” Acolhi o conselho do pai e esperei, para seguir, no ano seguinte, com a minha colega. Aquele ano de espera tornou-se para mim um ano especial: nele eu reconheço o 1º sinal da Providência de Deus em minha vida vocacional. Foi assim:

Parece que Deus gostou da ideia de meu pai e a Divina Providência se aproveitou do momento, entrando no meu caminho, dando-me a oportunidade de conhecer as Irmãs da Divina Providência. Num dia desses, recebi uma carta de uma Irmã da Divina Providência de Arroio do Meio, da Ir. Afonsina Hansen. Ela chegou a saber que eu queria ser Irmã; escreveu-me uma carta muito bonita, parecia ser uma carta caída do céu. Esta me indicou o caminho de me encontrar e conhecer as Irmãs da Divina Providência, na Beneficência Portuguesa de Porto Alegre. Minha mãe e eu, com um guia, fomos para a Grande Cidade – POA. Aí sim! Vendo a alegria das irmãs, o jeito e a missão delas, o caminho estava aberto para tornar-me, também um dia, Irmã da Divina Providência. Com 15 anos de idade, rumei para Arroio do Meio, onde iniciei o caminho que a Providência de Deus havia pensado para mim.

Aos 20 anos, o sonho se tornou realidade, ingressei na Congregação. Posso dizer que minha vida, comprometida com o Carisma das Irmãs da Divina Providência, foi e está sendo uma vida feliz, onde busco ser Sinal da Providência de Deus.

E você, que leu este meu Diário, seja também Sinal da Providência de Deus!

Irmã Roseldis Kuhn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *