Diário 03: História Vocacional da Irmã Maria Helena Lorscheiter

Diário 03: História Vocacional da Irmã Maria Helena Lorscheiter

“O que estiver ao meu alcance eu o farei e Deus não me abandonará!”

 

Olá pessoal!

 

Sou a Ir. Mª Helena Lorscheiter. Partilho meu momento vocacional atual, como Religiosa da Congregação das Irmãs da Divina Providência.  Quando se está há bons anos na caminhada, podemos elencar uma série de razões que contribuem para continuar com disposição, seguindo nossa vocação a serviço das pessoas mais necessitadas. A experiência de Deus, a relação com o transcendente que nos ultrapassa, envolve e conduz ao Outro, ou seja, Deus,, a pessoa que caminha junto comigo, as pessoas a quem sou enviada, com quem trabalho, a quem  dedico minhas energias como resposta ao Chamado, por acreditar na dignidade do ser humano.

Há pessoas que ajudam a nos conduzir dentro dos mistérios da Vocação, que só existe pela fé, um processo no qual Deus, através dos caminhos da vida, vai nos capacitando e impulsionando.  Para mim, viver a Vocação é experiência forte de me perceber conduzida pela força do Espírito do Ressuscitado que quer precisar de mim, de nós! Que continua ainda hoje sua ação no mundo, servindo-se da oferta de minha vida, colocada a serviço, que conta com meu coração, minhas mãos, meus pés, com todo o meu ser, com minha atitude junto aos outros. O trabalho conjunto enriquece e fortalece. 

É preciso confrontar-se, enfrentar e assumir as próprias sombras e ir além!  Experiencio a força de Deus que capacita, que faz viver e compreender a dinâmica pascal da vida que acontece sempre entre luzes e sombras. Luzes sempre suficientes para dar mais um passo. Intuir e compreender sempre melhor a dinâmica pascal, compreender que a última palavra é a da VIDA, não da morte, do sofrimento, da falta de dignidade humana.  

A Vida, a Vocação é um dar e um receber. E mais vezes nos damos conta depois, que recebemos mais do que damos! Isto nos traz alegria e realimenta forte a doação! Quem sabe, podemos chamar isto de cêntuplo, do qual Jesus nos fala no Evangelho.

Aquele que nos amou primeiro, em Jesus de Nazaré, o rosto humano de Deus, conta conosco e está conosco! Temos acesso a Ele pela oração e também pela relação direta junto às pessoas que sofrem, os mais necessitados, seus prediletos. A Fé e a Vida concreta se entrelaçam! 

Isto é um pouco do que gostaria de partilhar hoje com vocês e lembrar que Deus nunca nos pede mais do que conseguimos fazer. Isto nos mostra muito claramente Pe. Eduardo Michelis, fundador da Congregação das Irmãs da Divina Providência, ao dizer: “O que estiver ao meu alcance eu o farei e Deus não me abandonará!”

 

Obrigada e um abraço!

 

Irmã Maria Helena Lorscheiter

 

Confira o que a Irmã Maria Helena tem a dizer:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *