Eduardo descobre sua vocação

ago 19, 2019

Eduardo descobre sua vocação

“Desde a juventude, só nutria o desejo de dedicar-se inteiramente ao serviço da Igreja como presbítero”.

 

A vocação nascida desde a existência da pessoa humana, nasce e cresce em cada pessoa como dom do amor de Deus. À medida que nos damos conta deste projeto de amor em nossa vida, desperta o desejo de busca-lo sempre mais e assim discernir a vocação recebida.

Eduardo ao longo de sua vida cultiva uma grande sede de Deus. Desde criança sente-se atraído pelas coisas de Deus, sente um profundo amor pela Igreja e pela causa do Reino com o desejo de colocar em prática a vontade Dele. Como todo jovem, na fase da adolescência começa a se perguntar: “O que Deus quer de mim? Qual a minha vocação?”. Perguntas que surgem na mente e no coração da pessoa que realmente ama a Deus e o busca com todo o coração. Essas perguntas o fizeram dar passos. Não sabemos ao certo, como reagiram seus pais com o seu desejo de servir totalmente a Deus, mas, podemos imaginar que se alegraram e o apoiaram. O pai católico deve ter sentido uma grande alegria e a mãe, mesmo sendo de outra religião, foi à pessoa que mais o apoiou ao longo de sua vida. Viam em Eduardo ainda criança gestos de delicadeza, pureza de alma e sensibilidade de coração.

Quem conviveu com Eduardo percebeu nitidamente o desejo dele de se tornar sacerdote. Seu irmão Frederico fala o seguinte da sua decisão: “O zelo pela Igreja como que o predestinava desde muito cedo, sem coação externa, mas por um impulso interior, para o caminho do sacerdócio. Desde a juventude, só nutria o desejo de dedicar-se inteiramente ao serviço da Igreja como presbítero”. Eduardo depois de discernir e tomar a decisão vocacional com clareza da vontade de Deus em sua vida, não hesitou mais, fixou os olhos no Mestre e buscou segui-lo com todo o seu coração e com toda sua alma.

Na descoberta de nossa vocação percebemos que ela só tem sentido na medida em que se doa aos irmãos e irmãs. Essa é a riqueza e a certeza da felicidade. Uma vida doada, partilhada é uma vida capaz de sair de si, portanto, feliz. Eduardo tinha vários sonhos e queria verdadeiramente alcançá-los.

Ele esperava ansiosamente sua ordenação. Quem descobre um grande amor, não tem medo de entregar-se totalmente a Ele. O que jamais imaginou era que Deus lhe reservava uma árdua missão. Para sua surpresa, o futuro Arcebispo de Colônia, escolheu Eduardo para ser seu capelão e secretário particular. Eduardo argumentou, pois, sentia-se muito jovem e sem experiência. A decisão lhe foi muito difícil, mas, por fim optou em fazer a vontade de Deus e abriu mão dos seus projetos pessoais. Sua ordenação foi antecipada em três meses para que assumisse sua missão. E No dia 06 de abril de 1836, o jovem Eduardo passou a se chamar Padre Eduardo Michelis.